Taxas de Rendimento

As taxas de rendimento escolar de cada instituição são geradas a partir da soma da quantidade de alunos aprovados, reprovados e que abandonaram a escola ao final de um ano letivo. Elas são importantes porque geram o Indicador de Rendimento, utilizado no cálculo do Ideb.

Para calcular as taxas de aprovação, reprovação e abandono, o Inep se baseia em informações sobre o movimento e o rendimento escolar dos alunos, fornecidas pelas escolas e pelas redes de ensino municipais, estaduais e federais.

info-evasao

Fonte: Revista Nova Escola, 2012 (http://revistaescola.abril.com.br/politicas-publicas/entenda-taxas-transicao-escolar-rendimento-alunos-689317.shtml)

As taxas de rendimento se referem ao preenchimento ou não dos requisitos de aproveitamento e frequência dos alunos ao final de um ano letivo. Elas são formuladas a partir das taxas de aprovação, reprovação e abandono. Por sua vez, as taxas de transição ou fluxo escolar relevam a progressão dos alunos entre os anos letivos consecutivos e são compostas pelas taxas de promoção, repetência e evasão. No QEdu estão disponíveis os dados de taxas de rendimento. As taxas de transição ou de fluxo não são disponibilizadas pelo Inep.

Diferença entre abandono e evasão escolar

O abandono ocorre quando o aluno deixa de frequentar as aulas durante o ano letivo. Entende-se por evasão escolar a situação do aluno que abandou a escola ou reprovou em determinado ano letivo, e que no ano seguinte não efetuou a matrícula para dar continuidade aos estudos.

Como são gerados os dados das taxas de rendimento

As taxas de rendimento escolar são calculadas com base nas informações de rendimento e movimento dos alunos, coletadas na 2ª etapa do Censo Escolar, denominada módulo “Situação do Aluno”. Por isso é importante ressaltar que, para efeito do cálculo das taxas de rendimento, são considerados apenas os alunos informados no sistema Educacenso.

Metodologia de cálculo

Ao realizar o cálculo o Inep considera apenas os alunos que possuem, ao final do ano letivo, a informação se foi aprovado, reprovado ou se deixou de frequentar a escola.

Para compreender como os cálculos são feitos, precisamente, sugue documento oficial do Inep: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/educacenso/situacao_aluno/documentos/2015/taxas_rendimento_escolar.pdf

Saiba Mais

O que as escolas podem fazer para combater o abandono e a evasão escolar?
Primeiramente é preciso observar se todos os alunos matriculados estão frequentando as salas de aula, para isso a atuação de professores e gestores se faz essencial já que são eles que poderão entrar em contato com as famílias e comunicar essa ausência. No caso dessas faltas passarem a ser frequentes é possível pedir auxílio do Conselho Tutelar.
Algumas ações podem ser essenciais para manter os alunos na escola o ano todo, entre elas destacamos a utilização do uniforme, é preciso deixar claro para as famílias que seu uso não é obrigatório. Se o problema for a ausência de transporte escolar podem ser acionadas as Secretarias de Educação e do Transporte. Já no caso de faltas por motivo de doença ou trabalho os diretores podem buscar ajuda da Assistência Social. Reforçar o contato com as famílias e proporcionar atividades pedagógicas atrativas também podem estimular a presença do aluno em sala.

Para mais informações acesse: http://gestaoescolar.abril.com.br/aprendizagem/como-combater-abandono-evasao-escolar-falta-alunos-abandono-acompanhamento-frequencia-551821.shtml

Conheça alguns dos motivos que estão levando os alunos a deixarem a sala de aula
Diversas são as razões para evasão dos alunos, no caso do Ensino Fundamental, as famílias ou responsáveis muitas vezes alegam a distância de casa, a falta de transporte escolar ou mesmo de um adulto que possa levar até a escola, por motivo de doença ou mesmo falta de interesse por parte das crianças e adolescentes.
No que se refere ao Ensino Médio e os anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano) notamos que a proibição dos pais, a necessidade de trabalhar ou mesmo ajudar a família em caso ou no trabalho também faz com que muitos alunos deixem de frequentar a escola ao longo do ano letivo.

Mais dados sobre o assunto em: http://www.infoescola.com/educacao/evasao-escolar/

A frequência é obrigatória na pré-escola?
De acordo com a Lei Nº 12.796, de 4 de abril de 2013 a partir de 2014 as instituições de ensino deverão exigir a presença mínima das crianças com idade entre 4 e 5 anos na pré escola. Esta legislação incluiu no artigo 31 da LDB regras comuns de organização da educação infantil. Entre elas, está “o controle de frequência pela instituição de educação pré-escolar, exigida a frequência mínima de 60% (sessenta por cento) do total de horas”. Desse modo, a criança não poderá faltar mais do que 80 dos 200 dias letivos anuais, o que representa a frequência mínima de 320 do total de 800 horas por ano.

Conheça melhor a lei: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm